21 de maio de 2011

um novo dia


   Olhei hesitante pela persiana fechada, a chuva passou, finalmente se foi e com ela o vento frio, a escuridão e a tristeza que paraiva no lugar. Abri timidamente a janela e fui surpreendida pelos raios do Sol que festejavam a ida das nuvens, a grama era mais verde, os pássaros podiam finalmente cantar, algumas flores se atreveram a brotar, tudo naquele lugar agora parecia sorrir e exalar felicidade. Abri uma janela e o cheiro da terra molhada não fez cerimônia para entrar e junto a ele a sinfonia dos pássaros, o calor do sol e o frescor da brisa. Meus olhos quase fechados se acostumavam aos poucos à forte claridade que entrava. Poderia jurar que tudo não passava de um sonho bom se não fosse pelos grãos de poeira que flutuavam pelo ar, meus cabelos bagunçados pela brisa e seus braços ao redor do meu corpo, sua voz rouca me dizendo bom dia. Impossível seria não abrir um sorriso apenas por estar ali, apenas por ter você ao meu lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário