27 de maio de 2011

lua minha


     O que queres?  Uma escada, respondo. Ora, mas podes ter o mundo, porque apenas uma escada? O que procuro vai muito além do mundo, das pessoas ou de todo o dinheiro e riqueza que possas me dar, o que quero está além desse céu azul e além dos meus pensamentos mais loucos. Então diga-me, onde pretendes chegar com uma simples escada? Na esquina das estrelas, nas curvas de meteoros, algum lugar por aí, não sei bem ao certo. Não entendo. Ora, é simples meu mago, pretendo ir à Lua, digo convicto. Ele ri. Ora seu tolo, não vê o quão impossível isto é? Não se me deres uma escada. Pois bem, te darei o que tanto almeja, tome aqui esta escada. Agradeci ao mago e parti com minha escada. Cheguei ao monte mais alto de que tinha conhecimento naquela cidade e olhei para cima, lá estava ela, esperando por mim, sentei-me na grama úmida e lá fiquei. Meu jovem, o que fazes aqui, não iria de encontro à Lua? Chegou o mago e sua costumeira curiosidade. Estou a espera sábio mago. À espera do quê? Voltei a encarar minha tão querida Lua e abri um tímido sorriso. À espera de que algum dia ela enfim me aceite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário